Expediente Anunciar Contatos Domingo, 19 de Novembro de 2017

vestfapan2018

Construtora Paiaguás torna-se referência em Mato Grosso
Data:04/05/2017 - Hora:06h08
Construtora Paiaguás torna-se referência em Mato Grosso
divulgação

Criada em 2009 pela família Veggi Atala de Cáceres, a Construtora e Imobiliária Paiaguás ultrapassou a marca dos 10 mil imóveis e hoje é uma das referências na construção civil em Mato Grosso.
 
A conquista chegou com a Certificação ISO 9001-2008 e com o selo nível A do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat.
 
São três unidades habitacionais construídas em Cuiabá, 480 em Rondonópolis, 1.100 em Cáceres e 440 em Pontes e Lacerda.
 
A maior parte é do Programa Minha Casa Minha Vida, subsidiado pelo Governo Federal.
 
A empresa mantém obras em Cáceres e prospecta novos negócios em Pontes e Lacerda, Tapurah e Ipiranga do Norte.
 
Dentro seu processo de crescimento, a Paiaguás investe constantemente em equipamentos modernos que permitem construções de qualidade e alta produtividade.
 
Os sócios da empresa são o Corretor de Imóveis Edy Veggi  e seu filho,o engenheiro civil Edgar dos Santos Veggi.Filho de Ana Atala e Carlos Veggi, Edy nasceu em Cáceres, assim como seu filho Edgar.
 
 
A matriz da empresa em Cuiabá emprega diretamente 309 pessoas, entre diretores, colaboradores, estagiários e menores aprendizes.
 
A entrada nos negócios se deu pela visão de futuro de Edy, ex-funcionário da Caixa Econômica que acreditou no crescimento Chinês do programa Minha Casa Minha Vida. 
 
Hoje a Caixa é o principal cliente e parceiro da empresa. Edy se orgulha da parceria porque segundo ele, ela exige que a Paiaguás possua liquidez para honrar compromissos com fornecedores e tenha todos as certificações de qualidade exigidas.
 
Ele explica que as casas do Minha Casa Minha Vida são liberadas a partir do momento em que o governo federal, provocado pelos municípios, identifica o déficit habitacional para pessoas de baixa renda.
 
Além desta faixa, a Paiaguás também atua em outras duas faixas, como é o caso do residencial Dom Máximo e Universitário III, em construção em Cáceres.
 
Elas são destinadas a famílias com renda de 3 a 10 salários mínimos, e permite o uso do saldo do FGTS. Aliás, segundo Edy, este será o foco futuro da empresa que seguirá prezando pela qualidade das obras e o prazo de entrega.

O empresário faz questão de destacar o impacto socioeconômico que a Paiaguás gera nas cidades onde atua. Em Cáceres por exemplo, segundo ele, a empresa gerou cerca de mil postos temporários de trabalho e beneficiou indiretamente cerca de 5 mil pessoas.
 
Além disso, em uma parceria com a prefeitura, está investindo um milhão de reais no sistema de tratamento de água da cidade.
 
‘Outra satisfação é contribuir com a redução do déficit habitacional e realizar os sonhos de centenas de famílias’, argumentou.
 


fonte: Jornal Oeste

»     COMENTÁRIOS
 
\\ PUBLICIDADE
água prisma 2
glamour 2
jane
Contec Contábil
areeira monte verde
prisma 2
\\EDITORIAIS
  • Agronegócio
  • Anúncios e Comunicados
  • Artigos
  • Cidades
  • Cultura
  • Economia
  • Educação
  • Esporte
  • Gastronomia
  • Geral
  • Humor
  • Meio Ambiente
  • Polícia
  • Política
  • Pontos Turísticos
  • Saúde e Bem Estar
  • Social
  • Utilidade Pública
  • Variedades
  • Galeria de imagens
  • Diário de Cáceres 2014 Copyright © Todos direitos reservados Desenvolvimento de sites