Expediente Anunciar Contatos Segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

cometa outubro rosa11

História de uma vida, a arte sacra de Valderez Cuiabano
Data:09/10/2017 - Hora:15h25
História de uma vida, a arte sacra de Valderez  Cuiabano
Esdras Crepaldi

Aos 90 anos de  idade, a cacerense nascida em 17 de dezembro de 1926,  Benedita “Valderez” Cuiabano de Souza, filha do ex-prefeito de Cáceres Manuel Felipe Fernandes Cuiabano e de Maria Agostinha Motta Cuiabano, é uma das mulheres talentosas de Cáceres, que ajudam a escrever a história dessa cidade.

Dona Valderez se destaca  na arte de restaurar imagens sacras de diversas igrejas da Diocese São Luiz e de famílias cristãs.

Dedicada à restauração, um trabalho delicado e cheio de detalhes,   a cacerense conta  que começou a pintar as imagens pelo dom natural, desde o tempo em que era aluna do Colégio Imaculada Conceição. “Naquele  tempo já fazia desenhos em cadernos e começava a prática da pintura. O que era  um simples dom, foi se  aperfeiçoando e hoje, próximo dos meus 91 anos, a serem completados em dezembro, continuo reparando imagens com a mesma aptidão e amor do início de minha iniciação artística” confidencia.

Valderez revela que  efetivamente,  o trabalho com artesanato e pinturas teve início a partir de 1.980, em porcelanas e tecidos, e depois com a restauração de imagens santas em gesso, argila e resinas. Ela descreve ainda, que fez muitos outros trabalhos artísticos, como arranjos  de flores, grinaldas e buquês de noivas, e decorações temáticas em bolos de casamento. Mas sua grande paixão é realmente a restauração e pintura de imagens sacras. “Já perdi a conta de quantas imagens recuperei”.

Muito empenhada nessa dádiva, à artesã se sobressai pela sua sensibilidade e devoção a Jesus Cristo e Santos da Igreja católica. Devota fervorosa e membro do Apostolado da Oração, Dona Valderez foi a grande responsável pela restauração da imagem antiga de Santo Antonio, reverenciada pelos fiéis na catedral de São Luiz. “Sou devota de Santo Antonio, por isso tive uma emoção muito grande ao poder, depois de décadas da imagem danificada,   entregar uma obra totalmente reparada para ser introduzida novamente na principal igreja da diocese”, diz  Valderez.

Ela destaca, porém, o especial apreço pela imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que fica na entrada  da capela dedicada a ela. “ A novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, foi trazida por mim no final da década de 60 junto com os relicários, com apoio do saudoso Padre Paulo e autorização do então Bispo Dom Máximo Biennes e avivada por Frei Grignion, é até hoje seguida por centenas de fiéis devotos. Foi inexplicável o que senti ao restaurar essa imagem” anuncia. 

No momento, Valderez Cuiabano está restaurando uma imagem   de Santo Antonio de uma moradora de Cáceres, Ilca Maia. “Dona Valderez é um exemplo  a ser seguido, aos 90 anos continua recuperando imagens com tamanha perfeição”, reconhece Ilca.

Para o Pároco Padre Rogério Gonçalves, o talento e a disposição da artista o fazem recorrer a ela sempre que precisa restaurar ou recuperar uma imagem. “Dona Valderez sempre me socorre, já  restaurou e recuperou muitas imagens para a Paróquia São Luiz, seu trabalho é perfeito e traduz sua sensibilidade para as coisas de Deus”, enaltece Padre Rogério.

Para a filha da artista, Sheila de Souza Gattass, além do capricho da mãe, a atividade exige técnica e dedicação. “As imagens, geralmente chegam danificadas ou quebradas, a partir daí e com ela. Ela sabe o que fazer e faz muito bem feito”,  reconhece Sheila.

Valderez emenda a filha, “ o primeiro passo nesse caso é colar, feito isso, tenho que diagnosticar se a tinta é óleo, acrílica, fosca, que tipo é. A partir daí começa todo um trabalho minucioso”, explica Val.

A restauradora ressalta que  uma das particularidades mais acentuadas das  peças sacras é o tipo de pintura, que faz com que elas fiquem parecendo envelhecidas. Segundo ela, esse é o segredo, para devolver uma característica da imagem de décadas e até séculos.

Ela observa ainda, que uma restauração, pode levar apenas alguns dias, porém tem peças que demoram até dois meses. “Tudo depende do estado da imagem e do serviço a ser realizado”, adverte.

Dona Valderez, disse que não pretende parar com sua arte, que mesmo às vésperas de completar seus 91 anos, sente-se muito bem e que vai continuar colocando seus dons a serviço da igreja, como serva do Apostolado de Oração e restauradora de imagens. “Vivo a vida com intensidade e muita fé. Enquanto tiver saúde vou servir meu Deus e minha igreja, já estou preparando minhas netas Luciana e Silvia Helena e  minha bisneta Marina para continuarem esta missão, a obra da restauração de imagens e elas são muito talentosas”, reconheceu.

O ateliê de Valderez Cuiabano de Souza, fica na Rua Coronel José Dulce, 462,  centro de Cáceres.


fonte: Esdras Crepaldi

»     COMENTÁRIOS
 
\\ PUBLICIDADE
dunga
glamour 2
Contec Contábil
casa de ideias
prisma 2
São matheus
\\EDITORIAIS
  • Agronegócio
  • Anúncios e Comunicados
  • Artigos
  • Cidades
  • Cultura
  • Economia
  • Educação
  • Esporte
  • Gastronomia
  • Geral
  • Humor
  • Meio Ambiente
  • Polícia
  • Política
  • Pontos Turísticos
  • Saúde e Bem Estar
  • Social
  • Utilidade Pública
  • Variedades
  • Galeria de imagens
  • Diário de Cáceres 2014 Copyright © Todos direitos reservados Desenvolvimento de sites