Ser MULHER, e a superação dos desafios para permanecer na política.
Por por Antonia Eliene Liberato Dias
08/03/2021 - 13:15

Foto: arquivo

Hoje, um dia para refletir sobre as nossas lutas, avanços e conquistas. Quero partilhar minha experiência da conquista no espaço político.

De fato conquistamos um grande avanço com a lei de cota mínima, mas ainda estamos bem distante da efetiva participação na política, uma vez que somos a maior parte do eleitorado.

Estou diretamente envolvida na política há pouco mais de 8 anos, na qual historicamente ocupei o cargo eletivo de Vice prefeita por dois mandatos consecutivos e agora estou Prefeita, mulher eleita pela primeira vez no voto em Cáceres.

Confesso que não foi fácil, considerando que minha atuação e militância surgiu de árduo trabalho prestados
como professora, participação em diversos conselhos, execuções de projetos na área de educação, social e outros. 

Fui Rotaractiana, primeira presidente mulher, secretária de Assistência Social e educação, e tudo isso me credenciou e projetou na política. Nunca busquei tirar proveito dessas situações para me promover ou tomar decisões em benefício próprio, ao contrário, meu objetivo sempre foi contribuir principalmente para com os mais necessitados, lutar pela melhoria de nossas políticas públicas e participar e atuar de forma responsável em tudo.

Como vice fui muitas vezes ignorada, desrespeitada, sofri violências políticas, bullying, e outros. Lembro-me bem que em certas reuniões que eu assumia na ausência do Prefeito, era ironizada por muitos, e pasmem, inclusive mulheres que faziam parte do staff. 

Um comportamento extremamente machista, mas em momento algum eu me deixei abater, continuava firme e com muita altivez.

Percebi que estar Vice era muito limitada, ainda assim buscava ir sempre além. Em muitos momentos presenciei secretários falando para o prefeito que vice não era nada, sofri humilhações, constrangimentos e cheguei até pensar em formalizar uma denúncia, mas fui forte e mantive a cabeça erguida.

Tentaram de tudo para me derrubar, mas não conseguiram,  fui resiliente, firme e permaneci na minha caminhada.

Pra sobreviver adotei a seguinte conduta: ouvir, anotar e na maioria das vezes silenciar, mesmo diante de certos absurdos, pois quando tentava falar, era só desgaste.

Frequentemente tive que ouvir e aguentar calada que eu não seria capaz de administrar o município, pois era muito mãezona, não daria conta, não seria firme. Sofri violência política a todo momento, a pressão foi grande para que eu desistisse e aquilo me doía.

Lembro me bem de uma cena que marcou bastante minha posição de mulher. Fui colocada em uma roda para uma avaliação entre o Prefeito e secretários(as), mas percebi que o discurso era um só, 90% diziam que tinham receio que eu não desse conta, puro discurso pronto. Praticamente só faltaram dizer que me apoiariam na condição que eu aceitasse ser uma fantoche na mão deles, mas eu jamais aceitaria tal imposição. 

Foi aí onde me coloquei como protagonista de um processo eleitoral, passei a dialogar e construir toda uma base. Tudo isso fez com que a maioria dos partidos me enxergassem como uma opção de um projeto futuro com responsabilidade. 

Em momento algum me coloquei como vítima, mas graças a esse grupo de pessoas que conhecem a minha história e o meu trabalho, nos unirmos para alcançarmos o resultado desejado.

Na campanha bateram muito, foi um jogo pesado, sujo, mas isso só me motivava.

Trabalhei duramente dia e noite dialogando com a população e conquistando as mentes e os corações das pessoas. 

Aqui estou frente ao desafio do município como mulher, talvez um dos inícios de gestão mais difíceis da história de Cáceres em função da pandemia do covid 19. Mas estou de cabeça erguida e não tenho dúvida que farei um grande trabalho em equipe, com os secretários(as), coordenadores e funcionários frente Administração do Município. 

Muitos me ligaram perguntando se estou precisando de ajuda, apoio, opinião e etc... Mas percebo que muitos ainda crêem que não vou dar conta, que não serei capaz, ou algo do tipo.

Como sempre disse, vou fazer a nossa gestão com a participação da população, ouvindo, dialogando, construindo um trabalho em equipe. Entendo de gestão pública humanizada, tenho ideias, conhecimentos e competência para conduzir com muita tranquilidade e seriedade os desafios de uma gestão. Certamente cometerei erros, faz parte, mas farei o possível para que eles sejam apenas exceções.

Tenho o propósito de fazer pelo coletivo e proporcionar uma melhor qualidade de vida para nossa população. Sou consciente que infelizmente terei que tomar decisões que não irão agradar a todos, mas é normal, pois estarei tomando em prol do bem da nossa gente.

Meus agradecimentos a mulheres e homens que confiaram, confiam e hão de confiar nessa MULHER.

Antonia Eliene Liberato Dias.
Prefeita de Cáceres MT.

Carregando comentarios...

Artigos

Ser mulher

08/03/2021 - 08:35
Artigos

Ser mulher, ser de luta, ser ninja

07/03/2021 - 21:55
Artigos

O mundo está a sua espera

07/03/2021 - 21:49
Artigos

Um mensageiro do céu

07/03/2021 - 20:24
Artigos

Mulher Maravilha, Eu?

07/03/2021 - 19:56